Online


15 de novembro de 2009

Para Minha Amiga Presente


Marly, posso dizer que temos uma aliança eterna que começou na cruz e tem se fortalecido dia após dia.
Leia Mais

3 de novembro de 2009

Dieta Equilibrada

Uma alimentação saudável é baseada no equilíbrio nutricional alimentar.

Uma dieta equilibrada fornece ao organismo todos os nutrientes na quantidade necessária ao seu funcionamento normal. Combinando o consumo de alimentos que previnem doenças e que inibem a formação e a ação de substâncias agressivas ao organismo, atuando assim diretamente no controle do peso.


MAS NEM SEMPRE ISSO ACONTECE...


Leia Mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL...

Correria, estresse, poluição e contaminação dos alimentos...

Tudo isso pode resultar na falta de nutrientes vitais ao nosso organismo, aumentando a sensação de cansaço, diminuindo a resposta do sistema imunológico e dificultando a redução de peso. Fora o aparecimento de várias enfermidades.


QUAL A SOLUÇÃO?



Atividades físicas e uma dieta rica em nutrientes.
Leia Mais

26 de outubro de 2009

Sonho ou Revelação? - Parte 1

Era meado de 2004. A minha mente estava tão cheia de ocupações, que não consegui dar a devida atenção a dois sonhos muito fortes que tive com minha irmã Lucy.

Primeiro sonhei que chegava em casa, à noitinha, e estava tão exausta do trabalho da Associação que me sentia meio em transe.
Quando pensava em ir tomar banho, o meu cunhado Sérgio chegava de moto e, lá de fora do portão, gritava aflito. Ele dizia que Lucy tinha passado mal do coração e eu deveria ir acudí-la.
Era como se ele acreditasse que se eu fosse curaria o coração dela.
Leia Mais

Sonho ou Revelação? - Parte 2

Depois de algum tempo tive o segundo sonho:
Estávamos em casa e havia uma espécie de consternação; uma expectativa pairava no ar.

Eu entrava e via meus familiares desalentados. Queria saber porque estavam assim, quando chegava a notícia: “O médico disse que o coração de Lucy não tem mais jeito!"

Minha mãe desfalecia de um lado, minha prima Rita chorava do outro; era um desespero. E eu dizia com segurança: Não fiquem assim. É claro que tem jeito.
Leia Mais

Lucy Também Sonhou - Parte 3

Estamos a algum tempo falando sobre sonhos e como Deus também nos fala por meio deles.
Já descrevi dois sonhos que tive em 2004 sobre minha irmã e o aviso de morte.
A própria Lucy teve um sonho muito significativo e me contou:
Leia Mais

E o sonho se cumpriu - Parte 4

Era inicío de 2005.

Naquela manhã Lucy não amanheceu bem e ficou em casa. Tomou os remédios prescritos pelo seu médico. Não achávamos que fosse grave, pois tinha se recuperado bem da cirurgia. Inclusive, já havia cicatrizado.

À tarde dei uma passada em sua casa para vê-la. Ela ainda sentia dores, mas me tranqüilizou dizendo que quando o remédio fizesse efeito ficaria melhor. Fui então com Jilvânia e Andréa, pois tínhamos marcado para evangelizar umas famílias.

Quando retornei do evangelismo, passei lá novamente e ela não tinha melhorado. Fiquei preocupada e decidi que iria falar com minha prima Rita para providenciarmos levar Lucy ao hospital local, pois meu cunhado ainda não tinha voltado do trabalho.

Leia Mais

21 de outubro de 2009

Os Insensíveis Estão Morrendo!

A reunião desta noite foi muito proveitosa.

Relembramos as experiências sobrenaturais que nossa família vivenciou no passado, quando éramos crianças e adolescentes.

Contamos histórias bem escabrosas que marcaram nossas vidas: fantasmas, aparições, vozes ameaçadoras, objetos que se moviam sozinhos... Um verdadeiro poltergeist em que se contando fica difícil de acreditar... Mas o que pode ter de proveitoso nisso?

Leia Mais

12 de outubro de 2009

O DESPERTAR

A minha alma de poeta
Que a muito se calou,
Despertou nesta manhã
Como virgem adormecida
que desperta para o amor.

Ouço gritos no silêncio,
vozes que querem sair
Quase explodem o meu peito
E não se pode amar direito
Se o canto não fluir.

Os sinais da descoberta
Logo, logo vão surgindo
Sorrisos bobos e regozijo
Vontade de pular e correr
Um não caber-se em si.

Farei versos ao Rei
Publicarei o meu amor
Dividirei com outros povos
O cheiro do meu Amado.

Bárbara Guedes
Leia Mais

28 de setembro de 2009

Eternidade

Olhava eu ao longe. Sempre havia uma linha a minha frente.
Me disseram que eu deveria alcançá-la.
E por isso lutei.
Meus sonhos e esforços estavam delimitados por aquela linha.
Linha que me instigava e que me frustrava

Quando se fita um ponto fixo por muito tempo
Ou você o absorve ou o perde de vista, confundindo-o com a paisagem.
Um dia, de tanto olhar, perdi-o de vista
e descobri que havia algo mais além daquela linha.
Mas meu olhar não conseguia abranger sua dimensão.
Então perguntei ao sábio: O que significa aquela imensidão depois da linha?
E ele me disse: “Não sabes? É o lugar para onde tu certamente irás”.
O sábio olhou-me nos olhos e prosseguiu:
“Se fixares teus olhos lá, entenderás todas as coisas:
Tua origem , tua essência, tua razão de ser, teu tempo,
tuas posses e dons e teu destino. Só se olhares para lá”.

Algo incrível aconteceu com meus olhos!
Aquela amplitude pareceu me absorver.
Já não conseguia mais ver a linha!
Fiquei tão feliz com a descoberta que voltei-me para o sábio e perguntei:
Sábio, diga-me teu nome para que quando eu estiver lá não aconteça de me esquecer de ti.
O sábio sorriu e respondeu: “Não te preocupes, certamente me encontrarás lá também.
Ah! A propósito, meu nome é Jesus”.

Bárbara Guedes
Leia Mais

O Grito

O canto em mim se calou
Tenho sido como esta minha voz enrouquecida
Enfraquecida...
Cri, mas não vi.
Esperei, mas não alcancei.

Não entendo o tempo...
Parecia-me favorável
Mas agora parece escorrer em minhas mãos
Urgência! Urgência!
Ouço uma urgência dentro de mim
Quem apressou o relógio?

Meu ser, partícula ínfima nesta imensidão de Deus.

Uma voz suave tenta me convencer de meu valor
Ah, como eu queria que gritasses!
Despertarias a dormência provocada pela solidão
Libertarias meu peito oprimido...

Sonho com montanhas, mas elas são frias.
Sonho com as águias, mas estas são solitárias.
Sonhar...sonhar... Sonhar ou viver?

Manhã e tarde. Outro dia. O que fiz?
Que cadeias me prendem?
Medo? Culpa? Insegurança? Confusão?
Sede indomável.

Ó fome, por que não te sacias?
Almas, promessas, profecias.
Palavras soltas? Desejos vãos?
Quem tenho sido?

Planos, projetos e metas...
Quais mãos os traçaram?
E se embaralham as mãos
E se misturam as vozes

Comandos, sugestões, críticas...
Onde estás, ó voz doce? Por que não gritas?
Meu amor continua doendo.
Não sei apagá-lo...

Bárbara Guedes
Leia Mais

27 de setembro de 2009

Todo Amor que Tenho Por Ti

Queria fugir para uma ilha deserta
onde eu pudesse gritar com todas as minhas forças,
até que esvaziasse meu peito
de todo amor que tenho por ti.

Queria subir na montanha mais alta
onde o oxigênio faltasse
e eu pudesse matar asfixiado
todo amor que tenho por ti.

Queria ir ao lugar mais frio do mundo
e deixar lá o meu coração
Quem sabe não mataria congelado
Todo amor que tenho por ti...

Queria mergulhar no oceano mais profundo
e afogar bem lá no fundo
todo amor que tenho por ti.

Ah, quanta desilusão...
De que me adianta chorar?
Se meu peito dilatou,
e ainda não consegui encontrar o seu fim.
Se a altura me lembrou
a grandeza deste amor que decidiu morar em mim
Quanto ao frio, mesmo intenso,
não resistiu ao fogo imenso que trago no meu ser.
Nem ainda as muitas águas puderam afogar
este amor teimoso que tenho por você.

Bárbara Guedes
Leia Mais

Enquanto Houver Força

Se eu tiver que sofrer, sofrerei em versos;
não mais calarei a minha dor.
Se tiver que amar em silêncio...
recuso-me;
amarei em estrofes.
Tornarei conhecido, em tinta e papel,
este amor que me envolve... e me absorve.

Há tanta força neste amor que o faz absurdo!

Apressa-te, mão, vai deslizando sobre a folha,
vai correndo entre os versos;
destila gotas de paixão.
Dá livre curso ao meu peito
que já não suporta tanto aperto
de um amor em solidão.

Salta para fora do casulo,
deixa seu quarto escuro
antes que morra o meu coração.
Recita os desejos reprimidos,
respinga no papel todos os anos não vividos;
chora o silêncio da frustração.

Temo que a força deste amor me queime tanto por dentro,
que já não reste mais nada de mim.

Ó mão, vai riscando os meus murmúrios,
meus deslumbres e sussurros;
vai sangrando o meu afeto.
Vê se aplaca esta sede de amar insaciável,
esta falta de carinho...
E segura o meu amor enquanto houver força.


Bárbara Guedes
Leia Mais

19 de julho de 2009

Pois a Vida Melhora aos 60


Equipe que tornou o A.A.MA possível

DESCRIÇÃO: Projeto integrante do Programa Semeando Vida de minha autoria. Realizado em parceria com as Secretarias da Ação Social e da Juventude e do Idoso de Taperoá, com o Conselho Municipal de Assistência Social e o Instituto Direito e Cidadania. Além de vários voluntários, como o professor de Educação Física, Mateus Luiz e a estudante de Serviço Social, Rita de Cássia Coutinho, entre outros.

Com o objetivo de valorizar e amparar o idoso nos aspectos moral, emocional, cultural, técnico e físico, o A.A.MA realizou ações que promovessem o resgate da auto-estima; melhoria na saúde; aumento da perspectiva de vida; valorização da vida e da dignidade humana.
Leia Mais

5 de julho de 2009

O Sorriso de Deus

Gostaria de compartilhar uma pequena experiência que tive neste fim-de-semana, enquanto estava na casa de meus amigos, Rose e Braz. Posso?

De repente me peguei percebendo como toda a criação experimenta a vida.
Todos os dias pela manhã a vida goteja sobre a terra.
Deu para imaginar o oxigênio sendo renovado no primeiro segundo do dia.
Leia Mais

Abrindo o Baú

Desde o ventre de minha mãe que Deus me escolheu...
Mesmo pequenina Ele já me guardava...

Escolheu a família que cuidaria de mim...
E apesar de tudo o que o diabo fez para destruir-nos...
Deus forjou em minha mãe uma guerreira.

Enfrentamos muitas dificuldades e privações...
Mas nunca deixamos de ter fé...
E por falar em fé... minha família tinha muita, porém...
NÃO CONHECIA O REINO DE DEUS.


A família era numerosa e estava sempre por perto....
A mesa de almoço era bem comprida, mais a refeição era em silêncio.
Os vizinhos admiravam o fato de uma casa com tantas crianças não ser barulhenta nas refeições.
Eu, hein! Quem desafiava o olhar de minha vó Lucy ou de minha mãe?
É ruim..!

Infância proveitosa apesar de muito pobre...
Fui moleca na infância: Banho de maré na 'prainha' (quase sempre escondido), pipa, futebol (me diziam que eu era craque!), desafio às vacas do “Pasto”, lá estávamos nós - os netos de D. Lucy - nos divertindo.


Tudo era pretexto para brincarmos:
Se os adultos iam lavar o Balbino (a escola em que minha mãe trabalhava), lá estávamos nós “ajudando”; só para nos molharmos com a mangueira e deslizarmos na espuma.

Quando era para ajudar a varrer as salas, aproveitávamos a vassoura para fazer balanço, malabare ou motorzinho. Nos divertíamos pra valer!

Éramos a Liga da Justiça, o Capitão Caveeeeeerna! Êta Paulo que corria!
A comidinha na casa de palha de dendê no fundo do quintal com minhas primas.
O pé de abio, de abacate, de lima, de cajarana... a cisterna.
As histórias de assombração...

Nem sempre tínhamos o que comer, mas nos amávamos e era este amor que nos fazia ter esperança.

Com o passar dos anos os amigos foram sendo conquistados.
CARLOS KLEBER, TARCÍSIO, CÉSAR ULISSES. MAGALY, SANDRA, AGASSIMONE.

Quantos passeios de canoa escondidos!
“Vamos pegar carangueijos?” Dizia o Arouca. E lá ia eu no meio dos maiores.
Não pegava um sequer. Tinha medo. Mas sempre chegava em casa com uma corda dos bichos na mão.
“Toma mãe o que o pessoal me deu”.
Funcionava. Assim minha mãe não brigava.

ADRIANA, LISA, JOVENA. BETE, JULIANA, GENI, KENEDY, CRISTIANO, CASSIMÁRIA. Adolescência...

MARI, LENE, LUCINEIDE, AYDIL. Juventude e ideologia


E estudei... CRISTIANA, ANA FREITAS, VÂNIA, MARLENE, YARA, CLAUDINE.. colegas queridas ... JUCÉLIA, MARTINHA, MARINALVA... Como esquecer Marinalva?
Ela me bombardeava com Jesus.

E formei... Magistério (arg!) minha mãe que escolheu... Pedagogia (nossa!) minha procuradora errou o curso...! E a minha dança? E a minha música?

Outro Vestibular – UFBA. Dança? Balé para quem só tinha Dança de Rua, Madonna e Flashdance!

Canto?! Tive medo de enfrentar; achei que fosse ópera. 
Sem saber perdi a chance de 20 vagas pra 1...
Aqui está o lamento de minha vida. Mas passei em Ciências Sociais. Socióloga? Antropóloga? Política? Quem? Eu?
Fiquei com Pedagogia mesmo(UEFS).
É que faltou dinheiro para ficar em Salvador.


MÚSICA – MEU FÔLEGO.
Composições, festivais, Premiações.
Traidores da Pátria (a banda não saiu da garagem de Dodora), Asas Douradas (primeira banda)... E tome Roxette, Paula Toller e Daniela Mercury (que contraste!).

Seminário de Música da UEFS...
Trocaram minha prova (?) Fui parar no coral!!!
SOPRANO... Sebastian Bach ... que maravilha!
Mas as minhas canções iam para debaixo do tapete.
Dezenas delas...

Meu tio faleceu, o Babaloo da família, o carequinha.
Deixei a especialização em Educação Infantil para lá.
Minha mãe não podia ficar sozinha.
Voltei para a terrinha amada... (continua)
Leia Mais

Duas Maneiras de se Conhecer Deus

Existem duas maneiras de se conhecer Deus:

Ele falando de Si mesmo ou alguém interpretando o que Ele falou.

A grande maioria prefere a segunda maneira.
Eu escolhi ouví-Lo falar e tenho me surpreendido extremamente.
E você? O que prefere?

Se você for como eu, vale uma dica:
Tire cinco minutos do seu dia – todos os dias – feche seus olhos e fale com Deus.


Sugestão: “Senhor Deus, gostaria de saber quem Tu és. Há muita gente falando no Seu Nome, mas por favor se revele para mim. Obrigado, em Nome de Jesus.

É bem simples.

Se seguires minha dica, dentro de bem pouco tempo Deus vai começar a falar com você.

Um abraço.
Leia Mais